Resumo do Bonk
| |

Resumo e Resenha do Bonk | Livro de Mary Roach

O Curioso Acoplamento da Ciência e do Sexo

A vida se agita. Tem Bonk esteve em sua lista de leitura? Aprenda agora as principais percepções.

Estamos arranhando a superfície aqui. Se você ainda não tem o popular livro de Mary Roach sobre sexualidade e ciência, peça-ae ou obter o audiolivro de graça para aprender os detalhes suculentos.

Introdução 

Bonk se aprofunda na investigação científica do sexo ao longo da história. Durante séculos, o sexo foi estudado em laboratórios e prostíbulos. Hoje, os laboratórios de pesquisa e desenvolvimento de brinquedos sexuais e centros de ressonância magnética lideram a pesquisa sexual. Bonk é o culminar de dois anos de pesquisa de Mary Roach. Ela vai atrás das portas sobre as históricas e modernas investigações científicas sobre sexo. O resultado são vários fatos e dicas relacionadas ao sexo. Alguns são úteis; outros são apenas interessantes.

Sobre Mary Roach

Mary Roach é uma autoridade americana especializada em ciência popular e humor. Ela se formou em Wesleyan em 1981 e depois se mudou para São Francisco. Embora ela se concentre principalmente em escrever livros, ela escreve a peça ocasional de uma revista. Seus artigos de revista foram publicados em Outside, National Geographic, New Scientist, Wired, e The New York Times Magazine.

StoryShot #1: Destaques dos Pioneiros da Resposta Sexual Humana

O século 20 teve pioneiros da resposta sexual humana. Primeiramente, John Watson investigou o comportamento sexual em ambientes de laboratório na década de 1910. Posteriormente, Albert Shadle começou a investigar o comportamento animal na década de 1940. Na década de 1960, William Masters e Virginia Johnson realizaram e publicaram a Human Sexual Response (Resposta Sexual Humana). Este estudo mediu e registrou mudanças fisiológicas durante a excitação sexual. O estudo descobriu que mudanças no ritmo cardíaco, padrões respiratórios, e pudemos observar outros marcadores fisiológicos de excitação durante a estimulação sexual. Suas pesquisas também sugeriram que existiam duas fases distintas de resposta sexual:

  • a fase de excitação 
  • a fase orgásmica

Na época, este livro era altamente controverso. Entretanto, à medida que esta era se desenvolvia, a sociedade se tornava mais aberta ao livro. 

StoryShot #2: Uma mulher pode encontrar a felicidade com uma máquina?

Um cientista criou uma câmera de pênis para investigar o interior de uma mulher. Isto porque a pesquisa sugeriu que o orgasmo de um homem era de fora, enquanto que o orgasmo de uma mulher era de dentro. Portanto, um homem inventou uma câmera de pênis para entender melhor os mecanismos dentro de uma mulher levando a um orgasmo. Mary Roach explica que ela procurou por muito tempo por esta câmera de pênis sem sucesso. No entanto, este conceito questionava se uma máquina pode efetivamente ajudar uma mulher a ter um orgasmo. Mary observou uma máquina de orgasmo em uma exposição. Ela notou que a máquina era eficaz porque a mulher tinha melhor controle da velocidade, ângulo e empuxo. 

StoryShot #3: A mulher que moveu seu clítoris, e outras rumores sobre orgasmos sexuais

Nos anos 1920, uma mulher chamada Princesa Marie Bonaparte preocupava-se com sua incapacidade de obter um orgasmo. Portanto, sob o pseudônimo A.E. Narjani, ela apresentou uma teoria de frigidez. Esta teoria foi baseada em sua medição da distância entre o clítoris e a vagina em 243 mulheres. De acordo com seus resultados, ela argumentou que a distância entre estes dois órgãos afetava a capacidade de uma mulher de alcançar o orgasmo. Aquelas com uma distância curta tinham mais chances de alcançar o orgasmo com sucesso. Como Marie se definiu como uma téleclitoridiennes, o que significa que sua distância era grande, ela decidiu mover cirurgicamente seu clítoris. No entanto, isto não produziu o resultado desejado. Entretanto, alguns fisiologistas modernos, como Kim Wallen, ainda acreditam que uma distância menor do que a largura do polegar aumenta as chances de uma mulher atingir o orgasmo. A distância parece proporcional à altura da mulher e ao tamanho do peito. Mary também considera outras abordagens mais eficazes para produzir o orgasmo. Por exemplo, o estilo cãozinho é mais eficaz para estimular o ponto G de uma mulher. Alternativamente, algumas posições parecem mais efetivas, pois a mulher tem um senso de controle.

StoryShot #4 O Orgasmo Impulsiona a Fertilidade, e o que os Porcos Sabem sobre isso?

Este capítulo enfoca a possibilidade de que os orgasmos possam aumentar a fertilidade. Foram realizadas pesquisas com javalis e porcas para investigar esta hipótese. A pesquisa parece oferecer poucas evidências de orgasmos de animais fêmeas aumentando a fertilidade. Embora, alguns estudos tenham encontrado um aumento de 6% na fertilidade. Isto se deve em parte ao fato de que as pesquisas nem mesmo confirmaram que as fêmeas não-humanas chegam a experimentar orgasmos.

Outro estudo sobre porcos descobriu que as fêmeas que experimentaram orgasmo durante o acasalamento tinham maior probabilidade de engravidar do que as que não o fizeram. Além disso, pesquisadores na Holanda descobriram que ratos fêmeas que experimentaram orgasmo durante o acasalamento tinham maior probabilidade de engravidar do que aquelas que não o fizeram. Estudos em humanos, entretanto, não conseguiram demonstrar conclusivamente que o orgasmo feminino aumenta as chances de gravidez, embora algumas pesquisas sugiram que o orgasmo pode ser benéfico para casais que tentam engravidar. 

StoryShot #5: O mundo do desvio da imagem coital

Este capítulo falou sobre a pesquisa altamente avançada do Dr. Deng. Dr. Deng produziu um scanner que criou varreduras de ressonância magnética 4D. Essencialmente, estes são varreduras de ressonância magnética 3D com um componente de tempo. Esta ferramenta tem sido altamente eficaz em permitir que os cirurgiões possam observar o coração de um indivíduo em tempo real. Ao fazer isso, eles podem diagnosticar melhor os problemas e identificar a melhor maneira de proceder com a cirurgia. Entretanto, o Dr. Deng também utilizou esta técnica de imagem para medir pênis eretos. Isto lhe permite aprender mais sobre indivíduos com anormalidades vasculares ou estruturais em seu pênis. Resumindo, Mary convenceu seu marido a se dedicar a uma pesquisa que o Dr. Deng queria concluir. Isso envolveu Mary e Ed fazendo sexo nesta máquina. Posteriormente, Deng pôde compreender melhor o ponto de entrada e os ângulos variáveis associados ao orgasmo masculino e feminino.

StoryShot #6: Abordagens criativas à impotência

Este capítulo cobriu o trabalho do Dr. Geng-Long Hsu. Hsu é de Taiwan e é especializado em reparar lesões penianas e curar disfunções eréteis. Mary acompanhou o trabalho de Hsu e aprendeu sobre as abordagens criativas que muitas pessoas tomam para evitar a impotência. No entanto, há uma longa história de abordagens estranhas à impotência. Na Idade Média, as pessoas culpavam as bruxas pela impotência masculina. Em seguida, eles culpavam o estado psicológico do homem e se masturbavam demais. 

StoryShot #7: Se dois são bons, três seriam melhores

Mary cobre uma ampla gama de ferramentas utilizadas ao longo da história para aumentar o desejo sexual. Por exemplo, uma abordagem é o transplante ou a ingestão de testículos de animais. O Viagra tem sido uma ferramenta de destaque utilizada como uma forma de aumentar o desejo sexual. No entanto, existem alternativas. Uma alternativa é completar os exercícios pélvicos diários.

StoryShot #8: Transplantes, Implantes e Outros Pênis de Último Recurso

Este capítulo descreve a experiência de Mary de observar um implante peniano. Ela descreve a operação de Hsu em um paciente e como ela chegou até a tocar o pênis operado. Estes microcirurgiões podem criar um pênis relativamente realista para aqueles que tiveram acidentes estranhos. Entretanto, eles nunca terão o mesmo potencial que um pênis natural. 

Além disso, Mary visitou uma clínica onde os homens estavam fazendo ampliações de pênis. Dos 44 homens que a visitaram enquanto ela esteve lá, 100% dos homens realmente tinham pênis dentro da faixa "normal". Isto sugere que os homens agora têm uma idéia irrealista de quão grande deve ser seu pênis.

StoryShot #9: O Clitóris é um Pênis Pequeno?

Maria explica que na verdade existem algumas semelhanças entre o clítoris e o pênis. Em primeiro lugar, são duas de apenas três partes do corpo que têm tecido erétil. A única outra parte do corpo é seu nariz. Seu nariz vai ficar maior com a entrega de sangue para esta área. É por isso que seu nariz fica maior quando você tem um nariz entupido. 

Além disso, Mary explica que os homens também não são únicos em ter ereções durante a noite. Pesquisas sugerem que as mulheres experimentam várias ereções clitorianas por noite. Como um pênis, o clítoris é aumentado quando se experimenta uma ereção (ereção). Apesar disso, Mary descobriu que o Viagra não é útil para mulheres que têm Transtorno de Arousa Sexual Feminina.

StoryShot #10: Masturbação para a saúde

Mary Roach explica que a masturbação até o orgasmo é vital para as mulheres. Parece que quanto mais tempo se passou desde seu último orgasmo, mais difícil se torna o orgasmo. Portanto, a masturbação é uma estratégia útil para aqueles que estão lutando para se excitar ou alcançar um orgasmo. 

A masturbação é um comportamento normal e saudável, e que foi cientificamente comprovado como sendo benéfico para a saúde física e mental. Por exemplo, um estudo descobriu que o uso de um vibrador durante a masturbação reduziu os níveis de dor crônica nas mulheres. Além disso, outros estudos descobriram que a masturbação pode ajudar a reduzir o estresse e melhorar a qualidade do sono.

Mary também explica que ferramentas sexuais como bombas de vácuo para o clitóris de uma mulher podem aumentar o fluxo sanguíneo. Entretanto, ela explica que se pode produzir o mesmo efeito através da masturbação. Além disso, isto lhe poupará $400.

StoryShot #11: Quem precisa de órgãos genitais?

Neste capítulo, Maria investiga a possibilidade de obter orgasmos sem estimulação dos órgãos genitais. Um estudo realizado na Universidade Rutgers mostrou que as mulheres que usavam orgasmos sem estimulação genital relatavam menos dor e maior prazer sexual. Além disso, um estudo conduzido pela Dra. Beverly Whipple e colegas da Universidade de Michigan revelou que casais que usaram orgasmo sem estimulação genital relataram um aumento da sensação de proximidade com seu parceiro. Finalmente, um estudo conduzido pelo Dr. Clifford Bloch na Universidade da Califórnia, São Francisco, descobriu que as mulheres que usavam orgasmo sem estimulação genital relatavam aumento da sensação de satisfação sexual e de proximidade com seu parceiro.

O orgasmo pode ser alcançado estimulando outras zonas erógenas do corpo. O orgasmo não tem que envolver, ou terminar com os genitais. Na verdade, é possível ter um orgasmo sem estimulação genital. Por exemplo, pessoas tetraplégicas podem alcançar o orgasmo sem manipulação física. Portanto, isto sugere que as vias nervosas para os orgasmos não são bloqueadas por lesões da medula espinhal.

Mary examina várias técnicas para atingir o orgasmo sem estimulação genital, tais como compartilhar fantasias, usar a visualização, fazer massagem e usar técnicas de pressão corporal. 

StoryShot #12: As mulheres são complicadas

É claro que, em média, mais mulheres lutam com a excitação do que homens. Isto é demonstrado pela literatura científica que ainda tem desafios a superar para desvendar o mistério da excitação sexual feminina. Maria explica que a pesquisa está atualmente mostrando que a maioria dos desafios a serem superados parece ter origem mental. No entanto, há uma droga promissora no mercado. O flibanserin parece ser a melhor opção para as mulheres que lutam com a excitação sexual. Na época da publicação deste livro, o Flibanserin estava na Fase III dos ensaios.

StoryShot #13: A estranha e corajosa carreira de Ahmed Shafik

Ahmed Shafik era um pesquisador egípcio cujos estudos se centravam na anatomia humana, fisiologia, cirurgia e fisiologia sexual. Crucialmente, ele estava lançando trabalhos científicos sobre estes tópicos em um país conservador: o Egito. Mary explica que os estudos sexuais dentro dos países conservadores são difíceis. Entretanto, apenas falar sobre sexo pode ter um impacto positivo na vida sexual das pessoas. Portanto, tente falar sobre sexo o máximo que puder. 

StoryShot #14: O curso secreto dos hormônios

Os hormônios são mensageiros químicos responsáveis pela regulação de processos em nossos corpos, tais como crescimento e desenvolvimento, metabolismo e comportamento. O autor fornece exemplos de pesquisas com animais para mostrar como os hormônios podem influenciar determinados comportamentos. 

Por exemplo, em algumas espécies de primatas, certos hormônios podem ajudar a determinar quais animais assumirão um papel dominante ou subordinado dentro da hierarquia social. Alguns animais, como o mangusto, usam hormônios para se comunicar e para fortalecer os laços sociais entre os membros do grupo. Quando uma fêmea solta uma feromona, ela atrai ratos machos para ela. 

A testosterona, em particular, afeta os sentimentos de agressão e assertividade dos homens. As hormônios podem tratar condições de saúde mental, como depressão e ansiedade. É importante considerar as implicações éticas ao explorar como os hormônios podem manipular o comportamento.

StoryShot #15: O Laboratório que Descobriu o Grande Sexo

O autor examina a pesquisa inovadora que está sendo conduzida na Universidade do Texas, em Austin, sobre as relações entre pares humanos. O trabalho dos Drs. William Ickes e Ted Huston revelou que os casais precisam ter fortes conexões emocionais para poder ter bom sexo. Os dados coletados mostraram que casais que se sentiam próximos emocionalmente e gostavam um do outro tiveram encontros físicos mais bem-sucedidos. 

A conexão emocional entre os laços do casal foi importante para o sucesso do casal. A felicidade nas relações de casal pode ser alcançada através da proximidade emocional e de um grande respeito mútuo. 

Os resultados desta pesquisa podem ser aplicados a outros tipos de relações de casal, tais como amizades entre pais e filhos e amizades platônicas.

Resumo e revisão final

Bonk cobre uma variedade de facetas da resposta sexual humana a partir de perspectivas tanto do passado como do presente. Ela se aprofunda na hipótese de orgasmos que aumentam a fertilidade e discute as semelhanças entre o clitóris e o pênis.

Além disso, o livro analisa o estado mental das mulheres, os métodos históricos usados para tratar a impotência e o conceito de usar diferentes ferramentas para aumentar o desejo sexual. Mary Roach também analisa a possibilidade de obter orgasmos sem estimulação genital e aborda a corajosa carreira de Ahmed Shafik nos países conservadores. Ao introduzir tanto os pontos de vista científicos como históricos, este livro oferece uma visão abrangente sobre os aspectos da resposta sexual humana, desde a compreensão de mitos e tabus comuns até a análise da ciência por trás dela. Ele fornece ao leitor novas perspectivas e hipóteses cientificamente apoiadas sobre as complexidades da sexualidade humana.

Classificação

Nós classificamos Bonk 3.9/5. 

Como você classificaria o livro de Mary Roach?

Clique para avaliar este livro!
[Total: 0 Média: 0]

PDF, Audiolivro gratuito, Infográfico e Livro Animado Resumo 

Esta foi a ponta do iceberg. Para mergulhar nos detalhes e apoiar Mary Roach, encomende-o aqui ou obter o audiolivro de graça.

Você gostou do que aprendeu aqui? Compartilhe para mostrar que você se importa e nos avise entrando em contato com nosso suporte.

Novo em StoryShots? Obtenha o PDF, o audiolivro e as versões animadas deste resumo de Bonk: O Curioso Acoplamento da Ciência e do Sexo e centenas de outros livros de não-ficção mais vendidos em nosso aplicativo gratuito de alto escalão. Tem sido apresentado pela Apple, The Guardian, The UN, e Google como um dos melhores aplicativos de leitura e aprendizagem do mundo.

Resumos de livros relacionados

Publicações semelhantes

Deixe um comentário

Automaticamente adiciona YASR em seus posts ou páginas. %s Desative isto se você preferir usar atalhos. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.