Resumo do acasalamento em cativeiro
| | | |

Revisão Sumária do Acasalamento em Cativeiro | Esther Perel

Desbloqueando a inteligência erótica - Como manter vivo o desejo e a paixão nas relações de longo prazo

A vida se agita. O acasalamento em cativeiro tem acumulado poeira em sua estante? Em vez disso, aprenda agora os principais insights.

Estamos arranhando a superfície aqui. Se você ainda não tem o livro, encomende-o aqui ou obter o audiolivro de graça na Amazônia para aprender os detalhes suculentos.

RESPONSABILIDADE: O conteúdo abaixo não é afiliado ou endossado pela editora ou pelo autor. Ele é apenas um complemento do livro e destina-se a fins de entretenimento. Ele pode conter erros e não é um substituto para ajuda profissional.

A Perspectiva de Esther Perel

Esther Perel é uma psicoterapeuta nascida na Bélgica, especializada em terapia de casal na cidade de Nova York. Perel é fluente em nove idiomas e serve como consultora organizacional para empresas da Fortune 500. As palestras de Perel no TED têm mais de 20 milhões de pontos de vista. Ela é autora do New York Times e também produtora executiva e apresentadora do popular podcast".Por onde devemos começar"?

StoryShot #1: A Quest for Security Undermines Erotic Vitality

"Hoje, recorremos a uma pessoa para fornecer o que uma vila inteira uma vez fez: um senso de base, significado e continuidade. Ao mesmo tempo, esperamos que nossas relações comprometidas sejam românticas, bem como emocionais e sexualmente gratificantes. É de admirar que tantas relações desmoronem sob o peso de tudo isso"?

- Esther Perel, Acasalamento em cativeiro

Os seres humanos naturalmente buscam segurança. Como resultado, a maioria dos humanos se compromete com relacionamentos monogâmicos de longo prazo. Muitas vezes tomamos esta decisão com base na segurança associada a esta relação, em vez de nosso impulso sexual. Além de termos uma propensão para a segurança, também temos uma propensão igualmente forte para a aventura e a excitação. Entretanto, a segurança e a excitação são um desafio para combinar. Assim, os seres humanos lutam para cobiçar com a mesma pessoa que buscam conforto e estabilidade. O mais importante, Esther Perel explica que isso é impossível.

É fácil ver que o desejo muitas vezes desaparece à medida que a segurança aumenta em um relacionamento. Assim, o desejo normalmente se desvanece à medida que as relações se alongam. Perel descreve dois pontos de vista onde as pessoas podem ficar em um relacionamento. Ou as pessoas são românticas que desejam intensidade e aventura sobre a estabilidade ou realistas que valorizam a segurança sobre as paixões. No entanto, as pessoas frequentemente ficam desapontadas em ambos os extremos do espectro. Relações saudáveis muitas vezes exigem tanto desejo quanto segurança. 

Perel acredita que o amor e o desejo não são mutuamente exclusivos. Ainda assim, eles geralmente não acontecem simultaneamente. O raciocínio é que segurança e paixões são necessidades humanas diferentes que são sustentadas por motivos diferentes.

Perel diz que o atrito íntimo não é surpreendente, dada a recente evolução dos modernos sistemas de apoio social. Para muitos de nós, a idéia de uma família estendida e de uma comunidade unida tem sido praticamente desmantelada. Em seu lugar, está uma independência mais ansiosa e transplantada. A intimidade se tornou sobrecarregada com expectativas irrealistas. Esperamos que nossos parceiros sejam apaixonados e sexuais, mas também esperamos que eles adotem vários outros papéis. Esperamos que eles forneçam criatividade, discussões intelectuais, conselhos psicológicos, stress-busting, cuidado e gestão do trabalho. Estas coisas são fantásticas de se ter em um parceiro, e cada um tem direito a suas próprias necessidades e desejos. No entanto, ninguém será perfeito em tudo. Se você acredita que seu parceiro deve ser perfeito, você terá dificuldades quando seu parceiro decidir se comportar de uma maneira que seja fiel ao seu eu autêntico. A sensação de segurança que você fabricou se torna ameaçada, e você reagirá com emoções negativas. Se você abandonar suas idéias de perfeição, poderá criar uma sensação de independência dentro da relação. Você pode proporcionar à sua relação o espaço para respirar e crescer organicamente.

Ouça

StoryShot #2: O amor busca a proximidade, mas o desejo precisa da distância

"O amor gosta de saber tudo a seu respeito; o desejo precisa de mistério. O amor gosta de diminuir a distância que existe entre mim e você, enquanto o desejo é energizado por ele. Se a intimidade cresce através da repetição e da familiaridade, o erotismo é entorpecido pela repetição. Ele prospera sobre o misterioso, o romance e o inesperado. O amor é sobre ter; o desejo é sobre querer. Uma expressão de saudade, desejo requer uma indefinição contínua. Ele está menos preocupado com onde já esteve do que apaixonado por onde ainda pode ir. Mas com demasiada freqüência, à medida que os casais se instalam no conforto do amor, eles deixam de atiçar a chama do desejo. Eles esquecem que o fogo precisa de ar".

- Esther Perel, Acasalamento em cativeiro

A intimidade e o sexo estão freqüentemente associados a estar fisicamente perto de alguém. No entanto, Perel explica que a separação é o que encoraja a conexão. Isto inclui a separação emocional. Por exemplo, geralmente escolhemos parceiros cujos pontos fortes correspondem às nossas vulnerabilidades. Mais tarde, podemos associar a intimidade a uma preocupação com o bem-estar da outra pessoa. Isto nos leva ao sexo seguro. A excitação sexual genuína depende de um grau de egoísmo, em vez de concentrar todos os seus esforços no bem-estar de sua pessoa amada. Você precisa recriar a distância que inicialmente levou a seus encontros sexuais apaixonados e intensos para começar a trazer a luxúria para casa. Perel descreve a inteligência erótica como criando distância e trazendo esse espaço à vida com excitação e aventura. 

A distância entre duas pessoas energiza o desejo. A intimidade cresce através da repetição e da familiaridade, mas a repetição entorpece o erotismo. O erotismo prospera com o romance, o misterioso e o inesperado. O amor é sobre ter. O desejo é sobre querer. O desejo requer uma indefinição contínua.

StoryShot #3: A comunicação não é a única avenida para a proximidade

Os casais são frequentemente informados de que a comunicação é a chave para um relacionamento. Embora este possa ser o caso para certas partes da relação, certamente não é o caso do desejo. Perel explica que demasiada comunicação, abertura e vulnerabilidade podem pressionar um relacionamento. Se você exigir continuamente a entrada nos pensamentos de seu parceiro, você transformará a intimidade em intrusão ao invés de proximidade. Perel compara isso à coerção. Portanto, ela recomenda que você não sinta que tem que falar sobre tudo com seu parceiro.

Algumas pessoas terão dificuldades com a idéia de não saber tudo o que seu parceiro está pensando. Esta luta estará associada ao medo de perder o controle. No entanto, a fantasia sexual deve sempre transcender as restrições morais e psicológicas. Portanto, você tem que deixar de controlar os pensamentos de seu parceiro e dar-lhes espaço para construir paixão. 

Um exemplo de parceiros que dão uns aos outros verdadeira liberdade é permitir que o outro parceiro desempenhe papéis. O erotismo é a porta de volta para a liberdade, e o role-playing elimina todas as formas de controle. Seu parceiro escolhe quem ele quer ser no quarto de dormir.

Portanto, tente controlar seu desejo de conhecer cada pequeno detalhe sobre seu parceiro e seu passado. Se você os ama, deixe-os respirar. Demasiada transparência pode ser prejudicial.

StoryShot #4: A Democracia não Pertence entre as Folhas

Muitas vezes associamos o desejo a sentimentos que geralmente não estão associados ao amor, tais como agressão e ciúme. A capacidade de conter a agressão é um pré-requisito para a capacidade de amar. Devemos integrar nossa agressão, em vez de erradicá-la. A agressão como emoção humana não pode ser purgada das interações humanas, especialmente entre aqueles que se amam. A agressão é o lado sombra do amor. Ela é também um componente intrínseco da sexualidade, e nunca poderemos removê-la completamente das relações sexuais. Em contraste, o sexo domesticado é para ser justo, igual e seguro. Isto não é paixão verdadeira e deixará os casais entediados com suas interações sexuais. 

As normas tradicionais de gênero das mulheres sendo criaturas de amor e dos homens sendo criaturas de sexo mudaram. Agora, ambos os tipos de características são aceitos em ambos os sexos. Entretanto, o amor e o sexo falam idiomas diferentes. Tradicionalmente, os terapeutas de relacionamento recomendariam aos casais que fortalecessem seu relacionamento para melhorar sua vida sexual. Perel argumenta que isso é incorreto. Ambas as dinâmicas podem ser fontes de conflito, mas não estão diretamente relacionadas. Por exemplo, poder, controle, dependência e vulnerabilidade são muitas vezes fontes de conflito com o amor. Entretanto, elas são desejáveis e permitem que o corpo seja erotizado no quarto de dormir. O sexo deve ser lúdico e não deve obedecer às mesmas regras que seu relacionamento amoroso.

StoryShot #5: O sexo é sujo, então guarde-o para alguém que você ama

O sexo pode ser muito confuso. Durante a faculdade, o sexo casual se torna comum. Ainda assim, o que as pessoas buscam é uma oportunidade de se descobrir através de experiências excitantes. O sexo deve ser responsável e integrado. Perel explica que o prazer floresce no contexto do relacionamento. Portanto, além do amor profundo, você também precisa mostrar cuidados básicos e apreço pela pessoa com quem está fazendo sexo. Devido às exigências adicionais do bom sexo, é melhor guardá-lo para as pessoas que você ama. 

Críticas

Algumas pessoas criticam o argumento da Perel de que o acasalamento em cativeiro pode ser saudável. Eles não acham o argumento coerente, e acreditam que é uma desculpa para a má educação paternal. Pode até ser argumentado que Perel's A aceitação da agressão no quarto de dormir pode levar à violência doméstica em alguns casos.

Classificação

Classificamos Mating in Captivity como 4,2/5.

Como você avalia o livro de Esther Perel?

Clique para avaliar este livro!
[Total: 3 Média: 3.3]

NOTA EDITORIAL: O conteúdo foi publicado pela primeira vez em 2020. Ele foi atualizado em dezembro de 2021.

Acasalamento em cativeiro PDF, Audiolivro gratuito, Infográfico e Livro Animado Resumo

Esta foi a ponta do iceberg. Para mergulhar nos detalhes e apoiar o autor, peça o livro ou obter o audiolivro de graça na Amazônia.

Você gostou do que aprendeu aqui? Compartilhe para mostrar que você se importa e não se esqueça de nos marcar nas mídias sociais. 

Se você tiver qualquer feedback ou conselho, comente abaixo ou entre em contato com nosso suporte. Nós gostaríamos de ouvir de você!
Novo em StoryShots? Obtenha o PDF, o audiolivro e as versões animadas deste resumo e centenas de outros livros de não-ficção mais vendidos em nosso aplicativo gratuito de alto escalão. Tem sido apresentado pela Apple, The Guardian, The UN, e Google como um dos melhores aplicativos de leitura e aprendizagem do mundo.

Resumos de livros relacionados

Os Sete Princípios para Fazer o Casamento Funcionar

Sexo ao amanhecer

Sexo antes do café

Sem nome

Kamasutra

As 5 Línguas do Amor

Os homens são de Marte As mulheres são de Vênus

Comunicação Não-Violenta

Pegue o Guy

Em anexo

Conversas Difíceis

Acasalamento em cativeiro por Esther Perel Resumo da Resenha Audiobook Animated Book Summary PDF Epub on StoryShots
  • Salvar

Publicações semelhantes

2 Comentários

Deixe um comentário

Automaticamente adiciona YASR em seus posts ou páginas. %s Desative isto se você preferir usar atalhos. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.