Resumo das lições para o século XXI
| | |

21 Lições para o Século 21 Resumo e Revisão | Yuval Noah Harari

A vida se agita. Tem 21 Lições para o Século 21 tem recolhido poeira em sua estante? Em vez disso, pegue as idéias-chave agora.
Estamos arranhando a superfície aqui. Se você ainda não tem o livro, encomende o livro ou obter o audiolivro de graça na Amazônia para aprender os detalhes suculentos.

A perspectiva de Yuval Noah Harari

Yuval Noah Harari é um intelectual e historiador público israelense. Atualmente é professor no Departamento de História da Universidade Hebraica de Jerusalém. Ele é Ph.D. pelo Jesus College, Oxford. Sapiens foi o trabalho revolucionário de Yuval. Desde então, ele publicou mais dois livros: Homo Deus e 21 Lições para o século 21.

Introdução

21 Lições para o século XXI é um esboço das questões mais urgentes no mundo moderno. A questão é que a maioria das pessoas não tem o luxo de ter tempo para investigar estas questões. Dito isto, todos aqueles que não têm tempo para considerar estes dilemas serão deixados para trás quando nos esmagarem. Portanto, Yuval Noah Harari argumenta que este livro pode ajudar a nivelar o campo de jogo global, oferecendo conhecimento. Ele pretende ajudar mais pessoas a participar do debate sobre o futuro da espécie humana. Este futuro incluirá inteligência artificial avançada e uma civilização global. A chave é descobrir como podemos resolver estes problemas uns ao lado dos outros e da IA.

Capítulo Um - Desilusão

Yuval Noah Harari começa o livro falando sobre a desilusão visível na sociedade moderna. Por exemplo, a desilusão política vista em muitos países europeus. Ele argumenta que um dos fatores que impulsionam essa desilusão é a sobrecarga de informação. Nossos cérebros não processam facilmente fatos, números e equações. Os humanos pensam em histórias, e é assim que a desilusão política pode se espalhar, levando a ideologias como o fascismo e o comunismo. A lição a aprender com isso é que você deve utilizar as histórias em seus empreendimentos comerciais. Você também deve garantir que estas histórias sejam simples. 

O futuro oferece oportunidades para novos tipos de histórias que incluem humanos, super-humanos e inteligência artificial. Harari acredita que a IA se tornará cada vez mais sofisticada. Ele também acredita que em breve serão criados super-humanos que combinam IA e humanos. Apesar de uma mudança nos personagens de nossas histórias, Harari ainda acredita que a história liberal que vemos hoje prevalecerá.

Capítulo Dois - Trabalho

O futuro do local de trabalho incluirá significativamente mais computadores do que o que vemos hoje. À medida que desenvolvemos uma melhor compreensão das emoções, desejos e escolhas humanas, os computadores se tornarão mais versáteis nos locais de trabalho. Harari usa o exemplo dos veículos que conduzem por conta própria. Ele cita um estudo da Administração Nacional de Segurança Rodoviária dos EUA a partir de 2012. Este estudo descobriu que 31% de acidentes fatais envolveram abuso de álcool, 30% excesso de velocidade e 20% motoristas distraídos. Nenhum desses acidentes seria possível com um carro que se dirigisse sozinho.

Muitas vezes as pessoas se preocupam com a possibilidade de a IA nos substituir completamente no local de trabalho, deixando-nos sem emprego. Harari não acredita que isso seja verdade, no entanto. Ele acredita que a IA irá realmente ajudar a criar novos empregos para os humanos. Aqueles que estão dispostos a cooperar com a IA serão os que florescerão em futuros locais de trabalho. Harari também acredita que a IA irá melhorar não apenas a automação, mas também nossa criatividade. Por exemplo, os juízes de torneios de xadrez estão continuamente à procura de dicas de que um concorrente está recebendo ajuda dos computadores. A maneira mais fácil de identificar se alguém está fazendo batota usando um auxílio do computador é quando joga jogadas particularmente criativas. Portanto, como a criatividade é um sinal de influência da IA, também podemos esperar que a IA desempenhe um papel importante nas artes criativas.

A lição a aprender com tudo isso é que o futuro é brilhante. Não devemos nos preocupar com o potencial da IA no local de trabalho e, em vez disso, vê-lo como uma oportunidade. Estas ferramentas podem nos ajudar a nos afastar das tarefas mundanas que as pessoas não querem fazer e nos permitir passar mais tempo melhorando a sociedade.

Capítulo Três - A liberdade

Harari acredita que as eleições não são sobre o que pensamos, mas sobre o que sentimos. Apesar das claras falhas nas democracias, a maioria acredita que ainda é melhor do que todas as suas alternativas. Harari argumenta que os grandes dados e a IA têm o potencial para governar o mundo no futuro. Se pudermos tomar decisões sobre educação, trabalho e sociedade com base em dados, não há necessidade de eleições democráticas. Já dependemos de grandes dados para finanças pessoais, grandes negócios e guerra. Portanto, parece provável que as decisões políticas sejam o próximo passo. Harari dá o exemplo de como os dados têm sido utilizados na guerra para fortalecer este argumento. Ele afirma que sempre que os palestinos fazem um telefonema ou postam algo na mídia social, eles são monitorados por microfones, câmeras, drones e software israelenses. Em seguida, estes dados são analisados por algoritmos. Estes algoritmos dizem às forças de segurança israelenses onde podem surgir ameaças potenciais. Sem estes grandes dados, os soldados israelenses não estariam controlando aproximadamente dois milhões e meio de palestinos. Este é um exemplo de grandes dados que facilitam a tomada de decisões humanas.

Capítulo Quatro - Igualdade

Os dados são muito mais acessíveis do que nossos exemplos atuais de recursos. Terrenos, máquinas e outros recursos facilitam a aquisição de riqueza não disponível para outras pessoas. Mas os dados estão em toda parte e podem se mover à velocidade da luz. Você pode fazer tantas cópias quantas quiser. Portanto, um problema futuro é entender como melhor regular a propriedade dos dados. Esta questão já surgiu com grandes empresas de tecnologia que lutam para tomar as decisões corretas sobre dados pessoais.

Capítulo Cinco - Comunidade

O vício em tecnologia está impactando significativamente a conexão humana e a comunidade. A internet tem ajudado as pessoas que vivem longe a manter contato. Por exemplo, o autor explica que ele pode facilmente falar com seu primo na Suíça. Sem a tecnologia, ele poderia facilmente perder a conexão com este parente. Dito isto, a tecnologia tem afetado negativamente nossas conexões e comunidades mais imediatas. O autor explica que a tecnologia tem tornado mais difícil para ele falar com seu marido durante o café da manhã, pois eles estão constantemente olhando para seus smartphones.

 

Capítulo Seis - Civilização

Historicamente, a humanidade tem sido dividida em inúmeras civilizações isoladas. Milhares de anos atrás, estas civilizações teriam consistido apenas de um punhado de pessoas. Embora o número de civilizações independentes tenha diminuído ao longo do tempo, Harari argumenta que o futuro abriga uma única civilização global. Já estamos em uma fase em que podemos contatar quase qualquer pessoa no mundo. O resultado deste tipo de civilização é que as pessoas se importarão mais com seus inimigos do que com seus parceiros devido ao aumento da competição.

Capítulo Sete - Nacionalismo

Harari aponta que há uma diferença entre patriotismo benigno e nacionalismo. O patriotismo deve ser construído a partir da idéia de que sua nação é única (o que é verdade para todos os países). É quando as pessoas começam a acreditar que sua nação é superior, que surgem as questões. A questão do nacionalismo é que estas crenças estreitas sangram em suas outras visões de mundo. Harari usa o exemplo do ceticismo da mudança climática. Um socialista de esquerda raramente twitta alegando que a mudança climática é um embuste chinês. Estes tipos de tweets são quase exclusivamente produzidos pela direita nacionalista. Estes nacionalistas preferem negar uma verdade do que ter que trabalhar internacionalmente para resolver um problema global.

Harari acredita que a tecnologia tem o potencial para resolver os problemas que ela tem encorajado. Ele usa o exemplo da carne cultivada em laboratório. As pesquisas sugerem que a agricultura animal cria mais emissões de carbono do que todas as formas de transporte combinadas. Portanto, para enfrentar a mudança climática, é preciso que haja uma alternativa. A carne cultivada em laboratório poderia oferecer esta alternativa. Embora caro no início, Harari explica que se espera que a carne limpa seja mais barata do que a carne abatida dentro de uma década. 

Harari também argumenta que a forma como abordamos a política deve mudar se quisermos combater o nacionalismo. A política nacional nunca enfrentará o problema da identidade nacional. Portanto, devemos globalizar a política, a ciência e a economia através da governança global.

 

Capítulo Oito - Religião

Para nos ajudar a compreender o problema da religião na sociedade moderna, Harari descreve os três tipos de problemas que enfrentamos:

  • Problemas técnicos
  • Problemas políticos
  • Problemas de identidade

Harari ressalta que Karl Marx havia argumentado anteriormente que a religião não tem muito a contribuir para os debates políticos. O autor concorda e posteriormente acredita que a guerra entre as religiões não é baseada em políticas. Em vez disso, ela parece ser uma combinação de problemas técnicos e de identidade. Dito isto, a religião permite que as menores diferenças tenham um impacto significativo. Por exemplo, os cristãos orientais ortodoxos e ocidentais se dividiram devido à inclusão/exclusão das palavras "e o filho" em um credo. Portanto, Harari acredita que Freud estava potencialmente correto quando afirmou que a religião envolve uma obsessão por diferenças menores.

Capítulo Nove - Imigração

Harari começa especificando as condições básicas necessárias para que a imigração ocorra. Há três delas e são:

  1. O país anfitrião permite a entrada de imigrantes em seu país
  2. Espera-se que os imigrantes adotem as normas e valores do país anfitrião
  3. Se os imigrantes se integrarem, eles acabarão se tornando membros iguais do país anfitrião.

Harari acredita que uma grande proporção das pessoas que não gostam da imigração não são racistas. Na verdade, eles são culturistas. A maioria das pessoas que são anti-imigração é assim porque querem manter a cultura atual de sua nação. Por exemplo, haverá numerosas minorias liberais que podem migrar para uma sociedade intolerante considerada aceitável pela sociedade anfitriã. Mas, haverá um limiar onde o número de minorias liberais estará contrariando a sociedade intolerante do país. Para entender melhor as pessoas anti-imigração, devemos aceitar que elas possam ser culturistas e não racistas. 

Capítulo Dez - Terrorismo

Harari acredita que a reação exagerada ao terrorismo representa uma ameaça muito maior do que o próprio terrorismo. Os terroristas mataram muito poucas pessoas, mas podem aterrorizar bilhões de pessoas devido às respostas políticas. O autor aponta que a cada ano desde o 11 de setembro, apenas 50 pessoas são mortas na UE, 10 nos EUA e 7 na China. Globalmente, 25 mil pessoas morrem de terrorismo e 7 milhões de pessoas morrem de poluição do ar. Apesar desta diferença, o terrorismo produz consideravelmente mais medo e ganha muito mais atenção.

Portanto, em vez de incentivar o medo na sociedade, Harari acredita que o contra-terrorismo eficaz deve incluir as três coisas a seguir:

  1. O governo deve garantir que suas ações contra as redes terroristas sejam relativamente ocultas
  2. A mídia deve ser forçada a evitar a histeria e o excesso de informações sobre qualquer coisa relacionada ao terror.
  3. Você e todos os outros cidadãos devem liberar sua imaginação do terror e lembrar como são incomuns os atos terroristas

Capítulo Onze - Guerra 

A prevalência da guerra diminuiu consideravelmente ao longo das últimas décadas. Harari acredita que isto se deve em parte a nossa transição da luta por recursos para a luta por conhecimento. Anteriormente, era possível obter campos de trigo, minas de ouro e campos de petróleo da guerra. Não se pode conquistar o conhecimento através da guerra. Portanto, Harari acredita que a guerra moderna será baseada na tecnologia da informação e na biotecnologia, e não em armas e bombas.

"No momento, as pessoas estão felizes em oferecer seu bem mais valioso - seus dados pessoais em troca de serviços gratuitos de e-mail e vídeos engraçados de gatos. É um pouco como as tribos africanas e nativo-americanas que, sem querer, venderam países inteiros aos imperialistas europeus em troca de contas coloridas e bugigangas baratas".

- Yuval Noah Harari

Capítulo Doze - Humildade

O ponto alto deste capítulo é que os seres humanos naturalmente demonstram humildade. Os macacos evoluíram a tendência de ajudar os pobres e necessitados. Eles evoluíram estes comportamentos milhões de anos antes que a Bíblia instruiu os antigos israelitas a fazer o mesmo. Portanto, não há necessidade de confiar em um texto religioso ou qualquer outro ensinamento para convencer a sociedade de que eles precisam mostrar humildade. A sociedade, naturalmente, mostrará humildade sem religião.

 

Capítulo Treze - Deus

"A moralidade não significa 'seguir ordens divinas'. Significa 'reduzir o sofrimento'. Portanto, para agir moralmente, você não precisa acreditar em nenhum mito ou história. Você só precisa desenvolver uma profunda apreciação do sofrimento".

- Yuval Noah Harari

Partindo do capítulo 12, Harari também acha que você não precisa acreditar em Deus para ser moral. Moralidade é reduzir o sofrimento e isto não requer crença em um mito ou história. Mais uma vez, a sociedade não precisa acreditar em um Deus poderoso para ter medo de fazer a coisa certa. O comportamento imoral é sempre contraproducente a longo prazo, portanto, a sociedade sempre evitará aqueles que se comportam desta maneira. Por exemplo, ninguém quer viver em uma sociedade onde estranhos são constantemente estuprados e assassinados. 

 

Capítulo Catorze - Secularismo

"Perguntas que você não pode responder são geralmente muito melhores para você do que respostas que você não pode questionar".

- Yuval Noah Harari

A alternativa para construir uma sociedade sobre Deus é construir uma sociedade sobre o secularismo. Harari observa que devemos lembrar o fundamento do código secular:

  • Verdade
  • Compaixão
  • Igualdade
  • Liberdade
  • Coragem
  • Responsabilidade

A mais importante dessas características é, de longe, a verdade. Harari acredita que a realidade social é o ideal ao qual devemos aspirar. A realidade social é construída sobre um compromisso com a ciência moderna e não sobre a fé. Quando descobrirmos as conquistas científicas, devemos também valorizar a responsabilidade dessas descobertas. Não devemos creditar estas descobertas científicas aos protetores divinos e, em vez disso, vê-las como um resultado do conhecimento humano e da compaixão. 

A adoção desta abordagem secular desafiará a idéia de rezar cegamente pela mudança. Em vez de esperar por mudanças, a sociedade pode fazer com que mudanças positivas aconteçam ativamente.

 

Capítulo Quinze - Ignorância

Assim como os animais, os seres humanos tomam a maioria das decisões com base em reações emocionais e atalhos. Mas as emoções e a heurística não são suficientes no mundo moderno. A chave para o sucesso humano no mundo moderno é nossa capacidade de pensar juntos em grandes grupos. Isto nos permitiu confiar nas habilidades dos outros para quase todas as nossas necessidades. Steven Sloman e Philip Fernbach chamam isso de "ilusões de conhecimento". Com nosso conhecimento coletivo atual, encontrar a verdade através da experimentação individual é uma perda de tempo. É melhor permanecer ignorantes individualmente, mas criar conhecimento coletivo.

Capítulos Dezesseis e Dezessete - Pós- Verdade

O mundo moderno está cheio de notícias falsas. Dito isto, Harari acredita que um tipo de notícia falsa está presente há séculos. Ele descreve as notícias falsas modernas como mil pessoas acreditando em uma história inventada durante um mês. Quando um bilhão de pessoas acreditam numa história inventada durante mil anos, é isso que Harari chama de religião. Dito isto, podemos aprender sobre o poder da ficção olhando para a religião. A ficção pode unir as pessoas e tornar possível a cooperação humana em larga escala. Portanto, devemos começar a usar a ficção para levar a boa ciência às massas. Por exemplo, um bom filme de ficção científica vale muito mais do que um artigo em Ciência ou Natureza.

Capítulo Dezoito - Ficção Científica

A partir do último capítulo, Harari passa algum tempo falando mais a fundo sobre ficção científica. Ele acredita que este é o gênero artístico mais importante do século 21. Dito isto, a ficção científica mais popular não é necessariamente muito precisa, por exemplo, The Matrix e Westworld. Portanto, a ficção científica deve ser mais responsável na forma como retrata as realidades científicas. Sem assumir a responsabilidade desta forma, poderíamos ficar com uma sociedade onde a maioria das pessoas está se concentrando nos problemas errados.

Harari acredita que a pior falha da ficção científica é sua confusão de inteligência com consciência. Ele não está preocupado com uma guerra entre robôs e humanos. Ele acredita que pode haver conflito entre um pequeno conjunto de elites sobre-humanas. Portanto, Harari argumenta que Karl Marx ainda é um melhor guia sobre inteligência artificial do que Steven Spielberg.

 

Capítulo Dezenove - Educação 

"Em um mundo inundado por informações irrelevantes, clareza é poder".

- Yuval Noah Harari

Muito do que as crianças aprendem hoje será irrelevante em 2050. Portanto, os professores precisam parar de sobrecarregar seus alunos com informações e desenvolver sua capacidade de dar sentido a novas informações. Os futuros adultos precisam identificar informações importantes entre todos os dados irrelevantes.

Especialistas em educação estão agora pressionando para que as escolas comecem a ensinar o que Harari chama de os quatro Cs:

  1. Pensamento crítico
  2. Comunicação
  3. Colaboração
  4. Criatividade

Capítulo Vinte - Significado

Harari inclui os ensinamentos de Buda para explicar a fluidez do significado. O Buda ensinou que existem três realidades universais básicas:

  1. Tudo está em constante mudança
  2. Nada tem uma essência duradoura
  3. Nada está completamente satisfeito

Porque tudo está sempre mudando, o Buda acredita que a vida não tem sentido. Mas isto não é um problema. Você não precisa tentar criar sentido; o sofrimento emerge da tentativa de fazê-lo.  

Capítulo Vinte e Um - Meditação

Harari concorda com os antigos filósofos, argumentando que a fonte mais profunda de nosso sofrimento é nossa mente. Na verdade, o sofrimento não existe objetivamente fora das mentes. A meditação lhe permite compreender melhor esta realidade e desafiar sua mente. Ela ajuda você a se concentrar em sua consciência, que é o maior mistério do universo. A meditação também nos prepara para o futuro, pois Harari acredita que devemos entender nossas mentes antes que os algoritmos nos façam uma correspondência.

Resumo Final e Revisão de 21 Lições para o Século 21

21 Lições para o século XXI é um livro que olha para o futuro. Harari acredita que a tecnologia pode resolver muitos dos problemas que encontramos até agora no século 21. Dito isto, algumas questões podem surgir do desenvolvimento da tecnologia se não estivermos dispostos a integrá-la em nossa sociedade. Por exemplo, muitas pessoas se preocupam com o fato de a IA aceitar nossos empregos. Harari argumenta, ao invés disso, que aceitar a IA dentro do local de trabalho cortará os empregos mundanos que ninguém quer fazer e permitirá que os humanos se concentrem em tarefas mais importantes e agradáveis. Este é o tema de todo o livro, com cada lição considerando um problema que enfrentamos atualmente e olhando para o futuro em busca de soluções potenciais.

21 Lições para o século 21 PDF, Audiolivro gratuito, Infográfico e Livro Animado Resumo

Comente abaixo e deixe os outros saberem o que você aprendeu ou se você tem outros pensamentos.

Novo em StoryShots? Obtenha o PDF, o áudio e a animação versões deste resumo de 21 lições para o século 21 e centenas de outros livros de não-ficção mais vendidos em nosso aplicativo gratuito de alto escalão. Tem sido apresentado pela Apple, Google, The Guardian e a ONU como um dos melhores aplicativos de leitura e aprendizagem do mundo.

Esta foi a ponta do iceberg. Para conhecer os detalhes e apoiar o autor, peça o livro ou obter o audiolivro de graça.

Isenção de responsabilidade

Este é um resumo e análise não-oficial.

Resumos e Críticas de Livros Relacionados

Sapiens por Yuval Noah Harari

Homo Deus por Yuval Noah Harari

Dez lições para um mundo pós-pandêmico por Fareed Zakaria

Factuosidade por Hans Rosling, Ola Rosling e Anna Rosling Rönnlund

Vida 3.0 por Max Tegmark

Como criar uma mente por Ray Kurzweil

Sobre a tirania por Timothy D. Snyder

Por que as nações falham por Daron Acemoglu e James Robinson

Greenlights por Matthew McConaughey

O Projeto Felicidade por Gretchen Rubin

12 Regras para a vida por Jordan Peterson

21 lições para o resumo do século 21
  • Salvar

Publicações semelhantes

Deixe um comentário

Automaticamente adiciona YASR em seus posts ou páginas. %s Desative isto se você preferir usar atalhos. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.