Resumo do Think Again
| | | |

Resumo e infográfico do Think Again | Adam Grant

O poder de saber o que você não sabe

Resumo do Think Again

A vida se agita. Tem Pense novamente esteve em sua lista de leitura? Aprenda agora as principais percepções.

Estamos apenas começando Pense novamente Resumo. Se você ainda não tem o popular livro de Adam Grant sobre crescimento pessoal, psicologia e pensamento crítico, encomende-o aqui ou obter o audiolivro de graça para aprender os detalhes suculentos.

Introdução

Você já esteve tão confiante em suas crenças que não estava aberto a considerar outras possibilidades? Se sim, você não está sozinho. É da natureza humana agarrar-se às nossas crenças, mas fazê-lo pode nos levar a perder novas idéias e oportunidades de crescimento.

Pense novamente explora a importância de repensar nossas crenças e opiniões. O livro mergulha no território de erros cognitivos, preconceitos, preconceitos e pontos cegos mentais. Ele explora nosso fracasso em mudar nossas idéias uma vez que as tenhamos estabelecido. Não importa o conhecimento e a experiência que os indivíduos possuam, eles não podem evitar erros lógicos em seu processo de pensamento. Estes incluem opiniões infundadas, influências externas, suposições e outras percepções subjetivas. Nossa tendência natural de confiar nesses recursos cognitivos que nos distraem leva a uma tomada de decisão inadequada, inflexibilidade, incapacidade de ouvir os outros e de ser ouvido, bem como atitudes de mente fechada.

Através do conhecimento de Grant em psicologia e do desempacotamento de muitos exemplos, ele propõe uma nova abordagem para melhorar nosso pensamento. Sua abordagem se baseia na dúvida do que sabemos. Simultaneamente, ele estimula as pessoas a desenvolverem um interesse em aprender coisas novas e ver as perspectivas dos outros. Grant chama esta abordagem "repensando". A adoção desta mentalidade capacita você e sua equipe a melhorar. Também lhe dá a oportunidade de mudar a mente de outras pessoas sem dividi-las em grupos binários. 

Saiba como funciona o repensar de nosso Pense novamente resumo.

"Adam Grant acredita que manter uma mente aberta é uma habilidade ensinável. E ninguém poderia ensinar esta habilidade extremamente valiosa melhor do que ele nesta maravilhosa leitura". Os insights marcantes deste livro brilhante são garantidos para fazer você repensar suas opiniões e suas decisões mais importantes".

- Daniel Kahneman, Prêmio Nobel de economia e #1 New York Times, autor do best-seller Pensando, rápido e lento

Ouça o resumo em audiolivro de Think Again

Sobre Adam Grant

Adam Grant é psicólogo americano, autor e professor na Wharton School da Universidade da Pensilvânia. Ele recebeu o título acadêmico aos 28 anos de idade, o que o torna o mais jovem professor titular da Wharton School. Adam Grant foi o professor titular da Wharton por sete anos consecutivos. Ele foi reconhecido como um dos dez mais influentes pensadores de gestão do mundo e figurou entre os 40 menores de 40 anos da Fortune. 

Grant é o autor de quatro livros mais vendidos do New York Times, incluindo Originais: Como os Não-Conformista movimentam o mundo, Dar e receber: Uma abordagem revolucionária para o sucessoe Opção B: Enfrentar a adversidade, construir a resiliência e encontrar a alegria. Eles foram traduzidos em 35 idiomas. Adam é também o anfitrião do WorkLife, um podcast original do TED. Seu TED fala sobre pensadores, doadores e tomadores originais ganharam mais de 20 milhões de opiniões. 

StoryShot #1: Adaptar-se e prosperar com flexibilidade cognitiva 

Grant começa seu livro com uma história que teve lugar em 1949. Uma equipe de saltadores de fumaça estava combatendo um incêndio em massa. A maioria dos membros da equipe mantinha seus equipamentos conforme as instruções, mesmo que isso os retardasse. Apenas uma pessoa desobedeceu às instruções. Graças à sua capacidade de reagir na mosca, ele encontrou uma solução diferente. Eventualmente, isso o ajudou a sobreviver. 

Usando esta história, Grant contrasta uma abordagem convencional da percepção da inteligência com uma abordagem alternativa. Estamos acostumados a considerar a inteligência como uma habilidade para pensar e conhecer coisas novas. No entanto, devemos olhar para ela como uma habilidade de repensar e esquecer o que aprendemos antes. Flexibilidade cognitiva é a arte de ignorar nossos instintos, ainda que confiemos em nossos sentimentos instintivos. Repensar e questionar a nós mesmos nos ajuda a permanecer relevantes em um mundo que não conhece estabilidade.

Grant observa corretamente que mesmo as constituições aceitam emendas, então por que devemos negar emendas em nosso processo de pensamento? Se um pensamento ou uma idéia não nos serve mais bem, a melhor resposta é deixá-la ir. É sobre isso que se trata de repensar. 

Para se preparar para repensar, ancore-se na flexibilidade em vez de na consistência. Os seres humanos têm fortes convicções e se orgulham de se apegar a elas. Isto funciona em um mundo que é estático e confiável. A questão é que vivemos em um ambiente em constante mudança. Portanto, para nos destacarmos, temos que nos concentrar em repensar em vez de apenas pensar.


Repensar é um conjunto de habilidades, mas também pode ser descrito como uma mentalidade. As pessoas têm a tendência de se agarrar aos pontos de vista antigos em vez de aceitar os novos. Nós sucumbimos ao conforto da convicção sobre a ansiedade da dúvida. Ouvimos as idéias que nos fazem sentir bem em vez daquelas que nos fazem pensar muito. Uma mentalidade repensada envolve a disposição de aceitar a realidade de que os fatos podem mudar e o que antes era verdade não é mais o caso.

StoryShot # 2: Levante-se acima dos papéis de Pregador, Procurador e Político

Grant usa o sistema mental oferecido por Phil Tedlock para descrever nossas inclinações quando conversamos com outros ou temos um diálogo interno. Toda vez que pensamos ou falamos, caímos no papel de um desses personagens: um pregador, promotor ou político. 

Os pregadores só se interessam em impulsionar suas próprias idéias. Eles impõem suas crenças a outros para protegê-los ou popularizá-los. 

Os promotores estão ansiosos para ganhar cada argumento. Eles atacarão implacavelmente qualquer um cujas opiniões não se alinham com as suas próprias. 

Os políticos, ao contrário, querem ser agradáveis às pessoas. Eles anseiam por aprovação, mas não vêem a utilidade de encontrar a verdade objetiva. 

Quando você assume qualquer um desses papéis, você nega a importância de encontrar a verdade através do engajamento com outros. O que realmente lhe interessa é atacar pontos de vista dissidentes, defender sua opinião, fazer a paz, ou simplesmente ganhar uma discussão.

Há mais um papel que pode nos ajudar a realizar nosso potencial cognitivo. Os cientistas vivem para compreender os limites de seus conhecimentos, e podemos aprender com eles para melhorar nosso processo de pensamento. Ser um cientista significa conduzir experimentos, testar hipóteses, abandonar crenças antigas e abraçar novas verdades. Ter uma mudança de coração e reconsiderar não é uma fraqueza. Ela valida o seu desenvolvimento intelectual.  

StoryShot #3: Encontre o doce ponto de confiança

É impossível evitar os pontos cegos, ou preconceitos cognitivos em nossas próprias crenças ou conhecimentos, mesmo reconhecendo-os em outros. Estes pontos cegos podem afetar nossa capacidade de repensar e nos dar confiança excessiva em nosso julgamento. Entretanto, é possível desenvolver a confiança que nos permite ver falhas em nosso processo de pensamento. Este tipo correto de confiança nos permite manter nossas crenças atualizadas. Além disso, ele nos ajuda a reconhecer nossos pontos cegos e a ajustar nossa mentalidade adequadamente. 

Nem o excesso de confiança nem a falta de confiança são bons. O excesso de confiança é uma característica típica das pessoas com Síndrome de Armchair Quarterback. Elas acreditam que sabem mais do que sabem. O contrário é a Síndrome de Imposter, encontrada em pessoas que, apesar de terem a competência e as habilidades para ter sucesso, duvidam de si mesmas de qualquer maneira. Elas sentem que estão tomando o lugar de outra pessoa, e isto inibe seu sucesso.

Grant também dá o exemplo de uma pesquisa que pediu aos entrevistados que classificassem seus conhecimentos em comparação com outras pessoas. Eles também foram convidados a fazer um teste que avaliou seu nível real de conhecimento. A pesquisa mostrou que as pessoas que consideravam seus conhecimentos melhores do que os de outras pessoas superestimavam significativamente a si mesmas. O resultado de sua superconfiança é a falha em aprender coisas novas e mudar seus pontos de vista. No final, isso leva à ignorância e arrogância. 

O excesso de confiança não nos deixa ver nossas falhas. Devemos nos ensinar a ser modestos, mas de forma segura de nós mesmos. A modéstia confiante não só nos permite reconhecer nossos defeitos, mas também nos permite trabalhar para superá-los.

StoryShot #4: Experimente a Alegria de Estar Errado

As pessoas odeiam estar erradas. Quando alguém mostra erros em nossas crenças ou maneiras de pensar, muitos de nós reagimos com raiva. Podemos ver facilmente quando alguém está errado, mas não queremos admitir que nem sempre estamos certos. Defendemos destemidamente aquilo em que acreditamos. A psicologia chama nossa relutância em mudar nossos pontos de vista de "ego totalitário". 

Com o tempo, desenvolvemos um apego tão forte às nossas crenças que não queremos deixá-las ir. Adam Grant faz distinção entre dois tipos de apegos prejudiciais.

Destaque seu presente de seu passado

A primeira descreve nosso afeto pelo passado. Devemos aprender a destacar nosso presente das versões mais antigas. Se o fizermos, poderemos evitar a depressão. Seremos capazes de ver claramente a direção em que estamos nos movendo, o que nos trará mais alegria.

Separe suas opiniões de sua identidade

Junto com esta renovação no tempo, devemos separar nossa identidade de nossas crenças. Caso contrário, quando passarmos por uma grande mudança em nossa visão de mundo, nossa identidade vai se desfazer simplesmente porque descobrimos que estávamos errados. Ao invés disso, temos que desenvolver um sistema de valores. Isto nos permitirá mudar nossas crenças enquanto nos mantemos fiéis a nossos valores. Aqui, estar errado não vai causar uma crise de identidade. 

Os valores são seus princípios fundamentais na vida. Ao identificar-se com estes princípios, você permanece aberto a novas formas de alcançá-los. 

Você quer um médico cuja identidade esteja protegendo a saúde, um professor cuja identidade esteja promovendo o aprendizado, e um chefe de polícia que defenda a segurança e a justiça. Porque quando as pessoas se definem por valores e não por opiniões, elas podem rever suas práticas com novas evidências.

StoryShot #5: Abrace Conflitos Construtivos para Soluções Criativas 

Como não podemos evitar conflitos, precisamos aprender a gerenciá-los. Grant explica dois tipos de conflitos:

  1. Conflitos de tarefas. Elas ocorrem quando membros de uma equipe específica decidem quem deve enfrentar um problema, o que deve ser feito e como, etc. Este tipo de conflito é construtivo, pois estimula a busca de soluções criativas.
  2. Conflitos de relacionamento. Estes ocorrem entre as pessoas. Muitas vezes, estes conflitos são prejudiciais porque afetam negativamente as relações interpessoais. Entretanto, se as partes de uma discussão mostrarem respeito umas pelas outras, elas podem acabar tendo um grau mais elevado de compaixão e cooperação.

Nossa sociedade considera a pliabilidade, ou uma tendência a evitar conflitos, como um traço positivo. Adam Grant discorda desta percepção. Ele acredita que pessoas que não têm medo de mostrar discordância com nossas opiniões nos empurram para frente. Elas nos ajudam a avaliar nossas habilidades e a encontrar formas de melhorar.

StoryShot #6: Foster Understanding Through the Collaborative Approach 

Grant apresenta Harish Natarajan, um campeão internacional de debates, como um exemplo. Em um debate, ele argumentou a visão impopular de que o governo não deveria subsidiar as pré-escolas. No início, quase toda a multidão já tinha decidido que as pré-escolas deveriam ser subsidiadas. Dito isto, Natarajan convenceu a platéia utilizando estas técnicas simples:

  1. Entendimento comum
  2. Questões não-julgamento
  3. Flexibilidade de pensamento

Grant descreve esta estratégia eficaz como a abordagem colaborativa. Ela usa a humildade e a curiosidade para levar o público a pensar como cientistas. Ainda assim, as pessoas freqüentemente adotam a abordagem Adversarial nos debates, que se baseia nos modos de comunicação do pregador e do promotor. 

Para ajudar os outros a repensar suas crenças, evite argumentos racionais esmagadores como um "Logic Bully" usaria. Mesmo se você estiver correto, a outra parte se sentirá amarga. Uma abordagem mais eficaz é encontrar um terreno comum e expressar curiosidade fazendo perguntas. Estas perguntas permitem que a outra pessoa tire suas próprias conclusões, e isto é mais poderoso do que esmagá-las com lógica ou razão.

Classificação

Nós classificamos Pense novamente 4.2/5. 

Como você classificaria o livro de Adam Grant com base nesse resumo?

Clique para avaliar este livro!
[Total: 9 Média: 4.4]

Infográfico

Obtenha a versão de alta qualidade deste resumo infográfico de Pense novamente no aplicativo StoryShots.

Pense de novo infográfico
  • Salvar
Pense de novo Infográfico

Think Again PDF, audiolivro gratuito e resumo animado do livro 

Esta foi a ponta do iceberg. Para mergulhar nos detalhes e apoiar Adam Grant, encomende-o aqui ou obter o audiolivro de graça.

Comente abaixo e deixe os outros saberem o que você aprendeu ou compartilhe seus próprios pensamentos relacionados.

Novo em StoryShots? Obtenha o PDF, o áudio e a animação versões desta análise e resumo de Pense novamente e centenas de outros livros de não-ficção mais vendidos em nosso aplicativo gratuito de alto escalão. Tem sido apresentado pela Apple, Google, The Guardian e a ONU como um dos melhores aplicativos de leitura e aprendizagem do mundo.

Pensando rápido e lento por Daniel Kahneman

A busca do homem pelo significado por Viktor Frankl

Ruído por Daniel Kahneman

O Ego é o Inimigo por Ryan Holiday

Potencial oculto por Adam Grant

Mindset por Carol Dweck

A arte de aprender por Josh Waitzkin

Ultralearning por Scott Young

Conversas Difíceis por Bruce Patton, Sheila Heen, e Douglas Stone

12 Regras para a vida por Jordan Peterson

Conversas Cruciais por Kelly Patterson

Dirija por Daniel Pink

Além da Ordem por Jordan Peterson

Engenharia Interna por Sadhguru

O Cisne Negro por Nassim Nicholas Taleb

Resumo do Think Again Adam Grant
  • Salvar

Publicações semelhantes

4 Comentários

  1. Grant vira a mesa sobre "incompetência inconsciente", sem saber o que não sabemos com práticas tangíveis para nos tornarmos conscientes do que não sabemos e como usar essa consciência para acelerar o aprendizado. Um conjunto de habilidades/mindset vital em nosso mundo em mudança.

  2. Só quero dizer que, "sinto muito ter que ler esta obra-prima de graça", porque não tenho dinheiro para isso. Mas assim que eu ganhar dinheiro em minha faculdade, vou assinar este serviço extraordinário. Obrigado por mantê-la gratuita.

Deixe um comentário

Automaticamente adiciona YASR em seus posts ou páginas. %s Desative isto se você preferir usar atalhos. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.